Partida Milos x Valerga

Teoria & Prática

(71) Milos,G – Valerga,D [B18]

Buenos Aires (8), 1996

[Milos]

1.e4 c6 2.d4 d5 3.Nd2 dxe4 4.Nxe4 Bf5 5.Ng3 Bg6 6.Bc4 Nf6 7.N1e2 e6 8.0–0 Bd6 9.f4 Qd7 [Este lance foi introduzido por Seirawan e foi um dos responsáveis pelo desaparecimento da variante, por parte dos jogadores das brancas. O único caminho para as brancas tentarem vantagem é através do sacrifício.]

 

10.Bd3 Bxd3 11.Qxd3 g6 12.f5 [12.b3 Na6 13.Bb2 Be7 14.c4 Nc7 15.Qf3 0–0 16.Nc1 Nce8 17.Nd3 Ng7 18.Ne5 Qc7 19.h3? (¹19.Ne2 com a idéia de g4.) 19…Rad8 20.Rad1 h5³ 21.Ne2 h4 22.Ng4 Nfh5 23.Qc3 Kh7 24.Rf3 Nf5µ 25.Ne3 Bf6 26.Ng4 Bh8 27.Ne5 Nxf4–+ 28.Rxf4 Bxe5 29.Re4 Bf6 30.Rf1 c5 31.Qd2 cxd4 0–1 em van der Wiel-Seirawan, 1980.]

12…gxf5 13.Bg5 Be7 14.Rae1 Na6? [Este perde forçado. Segundo a última partida que aparece no informador com esta posição,as pretas devem pressionar o bispo e com isto conseguem grande vantagem.]

 

[14…Nd5 15.Bxe7 Nxe7 16.Nh5 Qd6 17.Nef4 Nd7 18.Nxe6! fxe6 19.Rxe6 Qd5 20.c4 Qa5 21.Rxf5 Qxa2 22.Ng7+ Kd8 23.Rxe7 Kxe7 24.Qe3+ Kd8 25.Ne6+ Ke7 26.Nc5+ Kd8 27.Nxd7 Qb1+ 28.Rf1 Qxf1+ 29.Kxf1 Kxd7 Campora-De Boer, Amsterdan, 1987. As brancas venceram o final.; 14…Rg8 15.Bxf6! Esta é a novidade que tenho preparada e ainda não foi utilizada. (15.Bh4 Rg4µ) 15…Bxf6 16.Nxf5! exf5 17.Rxf5 Analisei muito esta posição, primeiro sózinho e depois com o Fritz. As brancas têm enorme compensação, eis as variantes; 17…Bg7 Quando analisei esta posição em 1993 não vi este lance. Quando o Fritz o sugeriu acreditei que venceria com b3 da mesma forma que contra “…h8” , mas agora a torre de f8 fica defendida.

 

  1. a) ..Rg6? 18.Nf4+ Kd8 19.Nxg6! (19.c3 Rh6 20.Nh5 Bh8 21.Qf3 Re6³ Fritz) 19…Bxd4+ 20.Kh1 hxg6 21.Rf4± c5 22.Qb3 f5 23.c3+–;

 

  1. b) ..Bd8? 18.Nf4++–;

 

  1. c) ..Be7 18.Nf4+–;

 

  1. d) ..Qd6 Esta é a variante que o Fritz considera como melhor. Ele segue; 18.Ng3+! (18.Qb3 Nd7 19.Nf4+ Kf8!µ Análises minhas de 1993.; 18.Nf4+ Kd8 19.Qb3 Re8!µ Milos, 1993.) 18…Kd8 (18…Kf8? 19.Rxf6 Qxf6 20.Qa3++–) 19.d5 Bxb2 e considera que as pretas têm grande vantagem. Encontrei uma jogada fulminante; 20.Ne4 (20.Rb1 Qb4 21.Rf2 c5 22.c4 Qc3 23.Qxh7 Qh8 24.Qxh8 Bxh8³ Fritz) 20…Qa3 21.c3 Qa6 22.dxc6+!! Incrivelmente o Fritz não enxerga este lance. 22…Qxd3 23.cxb7+– Uma posição maravilhosa em que as brancas vencem e até o Fritz concorda.;

 

  1. e) ..Bh8 18.Qb3! Outro jogada que o Fritz não vê. Ele analisa; (18.Rf2 Na6 19.Nf4+ Kd8 20.Qxh7 Kc7 21.c3 Rg7 22.Qe4 Rag8³) 18…Rg4

 

e1) 18…Rf8? 19.Nf4+ Kd8 20.Ne6+±;

 

e2) 18…Kd8 19.Rxf7 Qd5 20.Qxd5+ cxd5 21.Rxb7± Com a idéia de “c3–f4”.;

 

e3) 18…Na6? 19.Rxf7 Qxf7 20.Nf4+ Kf8 21.Ne6++–;

 

e4) 18…Rg7 19.Nf4+ Kd8 (19…Kf8 20.Ne6+ Kg8 21.Nxg7 Bxg7 22.Ref1²) 20.Rfe5± …Rg8 21.Re7 Qxd4+ 22.Kh1 Qxf4 23.Qxb7±;

 

e5) 18…Qxf5? 19.Ng3++–; 19.Ng3+! (19.Qf3 Rg6 20.Nf4+ Kf8 21.Qa3+ Kg8 22.c3 Na6 23.Nxg6 hxg6 24.Rff1 Re8³; 19.Nf4+ Kf8 20.Qh3 Bxd4+ 21.Kh1 Rxf4 22.Qh6+ Bg7 23.Qxf4 Na6µ) 19…Kf8 20.Qa3+! (20.Qb4+ Kg8 21.c3 Na6 22.Qe7 Qxe7 23.Rxe7µ) 20…Kg8 21.c3 Rxg3 22.hxg3 Bxd4+ (22…Na6 23.Rg5+ Bg7 24.Qe7±) 23.cxd4 Qxf5 24.Re8+ Kg7 25.Qf8+ Kg6 26.Qh8±;

 

  1. f) ..Bg5 18.Ng3+ Kd8 19.Ref1 f6 20.Ne4 Qg7 21.Nxg5 fxg5 22.Rf7± Fritz.;

 

18.d5! (18.Qb3 Rf8! 19.d5 (19.Ng3+ Kd8 20.c3 Na6 21.Rff1 Kc7 22.Nf5 Bf6 23.Nh6 Bh4 24.Re4 Be7µ Fritz.) 19…Kd8! 20.dxc6 bxc6µ Analisei muito esta posição e chequei com o Fritz, mas não encontrei nada para as brancas.) 18…Kd8 19.Ref1! Rf8 (19…Bxb2? 20.Rb1 Bh8 21.Rxb7! Bd4+! 22.Nxd4! Qxb7 23.dxc6+– Qb4 24.Qe4 Qb1+ 25.Kf2 Qxa2 26.Rd5+ ganhando. As análises finais são do Fritz e não se pode tomar o peão de b2.) 20.Nf4 Qd6 21.Qg3 Bd4+ 22.Kh1 Re8 23.Rxf7 cxd5 24.Qg5+° Kc8 O fritz analisou esta posição após “…f8” por duas horas e chegou a esta conclusão. De fato as brancas têm boa compensação e decidi não aprofundar mais, acreditando que o sacrifício em “f5” é jogável.]

 

15.Nxf5! exf5 16.Ng3+– Nb4 17.Qc4 Nbd5 18.Nxf5 Ng8 19.Bxe7 Ngxe7 20.Nxe7 Nxe7 21.Rxf7 Kd8 22.Rexe7 Qxe7 23.Rxe7 Kxe7 24.Qb4+ Ke6 25.Qxb7 Kd6 26.c4

 

1–0